Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Je suis un Homme...

Comme ils disent! Onde tudo tem o seu espaço.

Je suis un Homme...

Comme ils disent! Onde tudo tem o seu espaço.

Milagre na Cela 7

O que cura o amor...

A capacidade de me surpreender no que toca a filmes é muito pequena. Nos dias que correm os filmes acabam por ser praticamente todos iguais, com uma linha de fundo igual. Algumas histórias mudam, mas na verdade aquilo que poderia ser surpreendente acaba por não o ser.

 

Nunca na minha vida, que eu tenha memória, vi um filme turco. Não por falta de interesse mas sim porque nunca me tinham aparecido uma sugestão. Ontem, em modo isolamento social (no final do ano estas devem ser das palavras mais escritas), a minha amiga de casa colocou um filme a dar para o nosso serão.

 

Intitulado por “Milagre na Cela 7”, este filme foi capaz de me surpreender em todo o tempo. A capacidade de amar o diferente, a forma como o amor cura e os sacrifícios que são feitos em prol do amor. Um homem, com um atraso, a sua filha e os anjos que se vão criando. A morte como expiação do pecado num dar a vida ao outro. A necessidade de um bode expiatório vai levar a que um inocente morra. Mas a esperança pode ser encontrada nos corações que menos se espera.

 

Gostava de falar mais sobre este filme que está disponível na Netflix, mas gostaria muito mais de deixar as palavras e sugerir que o vissem, nesta tarde chuvosa de primavera. De certeza que não se vão arrepender!

 

“Lingo, lingo. Garrafas.”

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.